ABPA avalia efeitos da alta do milho e da soja no mercado de proteínas

As cotações do milho tiveram novamente um expressivo avanço no mercado futuro com a curva subindo acima de 2% em praticamente todos os contratos negociados. O vencimento para janeiro de 2021, o segundo mais negociado atualmente, superou os R$ 80 por saca e teve ajuste em R$ 80,04. O contrato de novembro, o mais negociado, teve ajuste próximo desse patamar, em R$ 79,92. O indicador do milho do Cepea engatou o 15º dia consecutivo de alta e renovou seu recorde histórico. Os preços passaram de R$ 71,49 para R$ 73,33 por saca. Com isso, já acumulam uma alta de 15,2% em outubro e de 50,8% em 2020. Além da retenção da oferta por parte dos vendedores, o mercado começa a ser pressionado pela falta de chuvas que estão atrasando o plantio da safra verão em algumas regiões produtoras.