Vice-presidente do Senar-SP divulga mensagem de otimismo para 2020

A partir de estudos realizados em sistemas de integração pecuária-floresta ou lavoura-pecuária-floresta, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) desenvolveu o conceito do selo “Carne Carbono Neutro”. Certificadoras habilitadas pela instituição são responsáveis por atestar que a carne produzida nesses sistemas tem suas emissões de metano compensadas pela presença das árvores. Desde 2006, a fazenda Boa Aguada, de Água Clara (MS), tornou-se parceria do projeto, cedendo 50 hectares. “Em 2014, fizemos o termo de cooperação e implantamos a Unidade de Referência Tecnológica (URT), a primeira do Brasil”, conta Moacir Reis, proprietário da fazenda. No espaço, a Embrapa está testando diversos espaçamentos, que vão de 150 árvores por hectare a 500 árvores por hectare, de acordo com o dono da propriedade. “Estão verificando a quantidade de árvores adequada para cada sistema”, afirma.