Peste suína: javalis em SP colocam suinocultura em risco, diz secretaria

A reprodução desenfreada de javalis, no interior de São de Paulo, pode colocar em risco a suinocultura do Brasil inteiro, conclui trabalho de Secretaria de Agricultura do estado. As fêmeas podem ter, em média, oito crias por ano, o que pode elevar a população desses animais — estimada entre 200 e 400 mil — para 1,3 milhão em três anos. “É uma taxa de reprodução muito alta. Se os índices de mortalidade e abate por pressão de caça, for apenas 10%, isso representa duplicação a cada ano”, afirma o assessor técnico da secretaria João Pimentel. Além dos ataques às lavouras, a presença desses javalis coloca em risco a produção de suínos de todo o Brasil. “Se a peste suína clássica, registrada no Nordeste, ou a africana, que atinge a Ásia, entrarem no país, a indústria de suínos sofrerá um impacto enorme”, afirma. Um grupo de trabalho vai apresentar um plano de monitoramento e controle no estado de São Paulo, que traz como um dos instrumentos um sistema de armadilha desenvolvido pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), de Piracicaba.